Atualizando os bookmarks

29 agosto, 2008

Não esqueçam – o Gonzo agora bloga no After The Gold Rush (total carreira solo).

Anúncios

flyer-1.jpg

E nesse domingo tem o retorno de duas coisas bem bacanas para mim. Bueno, desde o fim do Moving Stairs (a banda em que eu toquei entre 2004 e 2006 com o Rodrigo, o Alê, o Picon e o Euler) que eu só subi em palcos para acompanhar os amigos. Isso não é uma reclamação, participar no show de amigos que admiro sempre é MUITO divertido.

Mas o mais foda que é dar a SUA cara pra bater no palco, com as suas músicas e o seu jeito de fazer.

Bom, quase dois anos depois do último show nesse esquema, tá na hora de voltar!

Nesse domingo vai rolar a estréia do meu novo projeto solo musical. Nesse show eu vou usar o nome Fading. E o que é o Fading? É uma idéia que tá na minha cabeça desde por volta de 2000, quando o Bêla me emprestou o Tascam preu gravar umas coisas.Músicas simples tocadas no violão sem um arranjo normal de banda (i.e. baixo, bateria, teclado, etc) mas com pequenos acompanhamentos simples, variando os tipos de instrumentos de acordo a necessidade de cada música.
Naquela época não saiu, mas agora finalmente começou.
Vou ser eu no palco o tempo todo, com convidados se alternando a cada música. Umas músicas terão uma base pré-gravada num sampler, outras terão backing vocal e outras terão corinhos completos. Instrumentos que aparecerão? Violões, baixo, clarinete, sanfona e mais duas ou três surpresas…
Participação de algumas pessoas bem importantes para mim. Tudo gente com quem eu já toquei, toco ou vou tocar em breve!
Bom, como estréia de projeto, sei que vou estar tremendo feito bambu verde no meio do tiroteio, então espero que os amigos apareçam para dar um alô e me oferecer faces conhecidas pra platéia parecer menos assustadora, ok? Também levem maridos, esposas, tios, amigos, periquitos e agregados em geral!
Depois do meu show, vai rolar um especial do Telepatas, em que a moçada preparou um esquema diferente e acústico. Ah, e tudo isso vai rolar na volta da festa Folk This Town, idéia do Gonzo que eu e o Rodrigo estamos ajudando a organizar.
Domingo sim, domingo não, no Santa Augusta, um esquema pra tomar cerveja, conversar com os amigos e ouvir som sossegado.
E aviso final: em breve, a estréia de minha nova banda! Ei, eu falei que esse era o projeto solo, mas não falei nada sobre não ter mais nenhuma banda! HUAH!
Bom o serviço completo é:
Folk This Town
Shows de Fading e Os Telepatas
Santa Augusta Bar
Rua Augusta, 976 Tel: 3255-9905
Dia 10/02 (domingo)
A partir das 18h
Entrada: R$ 7,00
Bônus Folk: consumindo R$ 12,00 ou mais, a entrada fica isenta.
Estacionamento conveniado: Rua Augusta 976
design do cartaz: Rodrigo Sommer
site da festa Folk This Town: http://folkthistown.wordpress.com
release da festa:

Os Telepatas e Fading na primeira Folk This Town de 2008 – 10/02

A melhor (e única) festa dedicada ao folk em São Paulo volta à ativa. Sucesso absoluto no final de 2007, com centenas de pessoas lotando o Santa Augusta Bar para ver os shows de Edson & The Black Horses e Lulina, a Folk This Town inicia as atividades no ano novo logo depois do Carnaval. Os paulistanos d’Os Telepatas são nossos convidados, na primeira apresentação da banda em 2008, com seu folk rock psicodélico em versão acústica e o repertório baseado no recente álbum Bandeirante (Trombador). O responsável pelo show de abertura é o projeto-solo Fading, de Adriano Vannucchi (da falecida Moving Stairs), que convoca uma série de amigos para colaborar na sua apresentação de suas composições no estilo indie-folk noventista.

A festa:

Tem festa pra tudo em São Paulo, não? Anos 90, electro-punk-house, hardcore caipira. Mas a metrópole não tem nenhuma noite dedicada ao folk e outras manifestações mais “tranqüilas” de música. Quer dizer, não tinha. A festa Folk This Town, projeto no Santa Augusta Bar, abre espaço para os violões, sussurros e um clima mais intimista – nada de “pista fervendo”, o negócio é gente sentada, boa companhia e ótimo som. O projeto rola quinzenalmente, aos domingos e cedinho (começando às 18h).

Na discotecagem, canções de gente como Neil Young, Belle & Sebastian, The Band, Wilco, Cat Power, Moldy Peaches, The Byrds, Neutral Milk Hotel, Big Star, Os Pistoleiros, Bob Dylan, Son Volt, Belle & Sebastian, Woody Guthrie, Nick Drake, Kimya Dawson, Stephanie Toth e outros heróis do violão (plugado ou não). A festa abre cedo, a partir das 18h, e os shows começam às 20h.

‘Bora

19 novembro, 2007

é isso ae mesmo.

Canções para Bobby

8 novembro, 2007

Falando ainda da Chan ( a gente nunca cansa, sorry), eu ia colocar aqui o link pra baixar a MP3 de “Song to Bobby” (faixa inédita, vai pro disco novo), mas a Matador tirou a música do ar durante a tarde. Uma pena, porque eu nem cheguei a baixar.

Mãs, seguinte: Cat Power participa da trilha sonora do filme “I´m Not There“, cinebiografia malucona que o Todd Haynes fez do Bob Dylan (o “Bobby” da canção nova da gata), com uma versão lindinha e sussurada para “Stuck Inside The Mobile With The Memphis Blues Again” – que você pode ouvir, em streaming, no MySpace da película. Aproveita e ouve também a versão do Jeff Tweedy (do Wilco) para “Simple Twist Of Fate” (com uns versos bem diferentes…) – que tá no nível da versão que o Hélio apresentou no show do Vanguart terça passada.

Como uma luva

5 novembro, 2007

As luvinhas que Charlyn Marie Marshall estava usando no Tim Festival chamaram atenção – como assim, luva preta com dedinho cortado? Cat Power Michael Jackson?! Bom, pelas fotos do festival Fun Fun Fun, em Austin, parece que as luvinhas não foram exclusividade das apresentações brasileiras. (Agora, não sei se alguém levantou essa bola, mas aposto que as luvinhas foram dica de moda do estilista alemão Karl Lagerfeld, chefão da grife francesa Chanel e amiguinho da dona Chan, que nunca sai de casa sem um par de luvas semelhantes).

apesar…

2 novembro, 2007

…de eu discordar bastante da lista bizarra dos 100 melhores discos nacionais da Rolling Stone, deixo o link pra quem quiser baixar pequenas pérolas como “Clube da Esquina” (que, reza a lenda, está pra sair em edição remasterizada pela Trama), “Chega de Saudade”, “Samba Esquema Novo”, “Os Afro-Sambas”, entre outras delicinhas que NÃO, não existem para comprar nessa país de merda. sijoga.

hahaha

2 novembro, 2007

http://www.dailymotion.com/video/x3d8cg_amy-winehouse-back-to-black-live-em_news

“eu não fui pra rehab porra nenhuma, eu odeio o EMA, eu tô muito preocupada com o padê que pode pular do meu nariz a qualquer momento, eu enchi a cara também, mas meus dançarinos tão ahazzando ali no fundo, olhem pra eles”

(Amy Winehouse não disse isso ontem, mas ia fazer muito sentido depois dessa versão bem louca de “Back to Black”)