Títulos, títulos. Muitas vezes são a ruína de um bom texto ou livro, outras vezes, captam uma essência tão forte que validam-se por si mesmos, descolam-se dos livros aos quais pertencem e viram poesia pura, minimalista. Particuralmente, gosto de nomes como Suave é a Noite, Recordações da Casa dos Mortos, A Insustentável Leveza do Ser, O Coração das Trevas e Meu Ódio Sera a Tua Herança (caso raro de tradução adaptada melhor que o original).

John Steinbeck, ou seilá, o editor dele, tinha títulos desgraçadamente fortes, como As Vinhas da Ira e A Leste do Éden. Mas foi com uma citação de Shakespeare (da peça Ricardo III, pra ser mais exato) que ele conseguiu perpretar um dos títulos mais deprimentes (no bom sentido, hehe) da história da literatura: O Inverno da Nossa Desesperança.

Agora, o Concurso Cultural Na Laje consiste no seguinte: quem mandar para o e-mail amauri[ponto]gonzo[arroba]gmail[ponto]com o título mais deprimente da literatura universal, ganha uma edição pocket novinha em folha do livro do Steinbeck (que nem essa aí em baixo). Não vale inventar, não vale deixar a resposta nos comentários – e quem decide o ganhador sou eu, afinal, o dinheiro vai sair do meu bolso mesmo. A promoção dura até 15 de setembro de 2007, e o resultado deve sair lá pelo dia 18 aqui Na Laje mesmo. Então vamos lá, coloque o bibliotecário emo que existe dentro de vocêspra trabalhar e quem sabe você não ganha um motivo para ficar REALMENTE deprimido?

Anúncios

Serviço Público

14 agosto, 2007

Rip It Up And Start Again, a história do pós-punk contada pelo Simon Reynolds ganhou versão pocket – tem por 40 pilas na Cultura. Há tempos que não aparece um livro sobre música que mereça tanto o epíteto de “essencial”. Leia já!

E aproveitando o momento “recomendamos”, já nas bancas, pela revista Outracoisa, o álbum de estréia do quinteto matogrossense Vanguart. Dylan circa Bringin´It All Back Home com Radiohead pré-Kid A é uma definição comum pros caras, apesar de bem preguiçosa. Logo sai resenha do aqui na laje. Abaixo, a capa do disco e o clipe de “Cachaça”.