Alguns bons e vários anos atrás, quando parecia que a Via Lettera ia conseguir ser uma editora a lançar quadrinhos nas livrarias com um bom padrão de qualidade E uma periodicidade decente (algo não conquistado, diga-se de passagem) surgiu no meio dos lançamentos uma série bacanuda: Balas Perdidas (Stray Bullets) do David Lapham.

Os dois álbuns dessa série que saíram por aqui são bem bacanas. Algo na praia romance-policial-pulp-remixado-pelo-Tarantino mas com um domínio legal da narrativa quadrinesca e toques pessoais (ui) o suficiente para atingir um resultado very-legas e, porque não dizer, além do simples simulacro de “policial-independente-piadinha-antes-de-espirrar-sangue”.

Balas Perdidas sumiu junto com os outros lançamentos da Via Lettera (de vez em quando eles se distraem e lançam um Bone, assim meio tipo “opa! que que é isso aqui que eu derrubei?”).

Lá fora a série é bem conhecida, mas depois dela o Lapham não foi assim dos maaaais bem amados pela crítica e fãs com seus lançamentos, indo desde coisas mais sérias (como a recente graphic novel pela Vertigo: Silverfish) e até outras como “Justiceiro versus Demolidor” pra Marvel (uma das 238 mini-séries desse tipo).

Agora ele vai voltar com uma série mensal.

O nome? Young Liars. Pela Vertigo a partir de março (nos EUA, obviamente… Aqui? PREVISÂO de publicação aqui??? Pfft… Só vamos torcer para o Lapham não ter exclusividade assinada com a Via Lettera).

Young Liars

Bom… análise fria da coisa…

Medo de David Lapham ser o cavalo de uma corrida só… Essa capa pode tanto ser irônica no bom sentido (com uma emulação de literatura e cinema sobre delinquência juvenil e tals) quanto também pode ser sincera e acabar numa regurgitação de clichês (tipo bandas que surgem fazendo cópia do Manowar e se levando a sério).

O Newsarama publicou o texto da solicitação do catálogo da distribuidora e mais 3 páginas de preview.

Pelo texto, a coisa parece mais interessante (qualquer textinho que possua no mesmo parágrafo as palavras “sexo” e “anões psicóticos” já merece minha curiosidade) e o preview também parece funcionar.

Vamos ver o que nos espera. Mas admito que ele ganhou um ponto de curiosidade ao lançar a melhor frase de citação de autor para divulgação de projeto que eu ouvi nos últimos tempos:

“I haven’t had this much fun since my Uncle Chuck took me on a crime spree in the fourth grade.” — David Lapham

update: o Newsarama publicou hoje uma entrevista com o Lapham sobre a Young Liars.

A Blender de setembro colocou o Andy “Dick In A Box” Samberg na capa – o cidadão é o top 1 do “Hot Report 2007” da revista – que elegeu os 100 melhores momentos do ano (até agora, esperamos…). Em 93º lugar está o CSS, com foto e tudo (pena que a foto não está no site) – e descritos como “brazilian porn that won´t set you back at $19,95 a month”. Mas o brasileiro mais bem colocado na lista, no final das contas, é o quadrinista Gabriel Bá. Ele está ilustrando o quadrinho do emo-boy Gerard Way, vocalista do My Chemical Romance, Umbrella (como diria a Rihanna, ella, ella, hey, hey) Academy. Apesar do nome do irmão gêmeo do Fábio Moon não aparecer no texto da nota (48° lugar), a capa da HQ está na revista, com o nome do Gabriel do lado do moleque de cabelo branco.

(Aproveita e vê a entrevista em vídeo com as Pierces no site)

O Caco sempre ahazza!

Tenho uma teoria da conspiração sobre esse movimento feito de burguês para burguês, de burguês que nunca foi beneficiado pelo Lula contra os burgueses que foram beneficiados pelo Lula, de burguês que votou no “lulinha paz de amor” contra os burgueses que votaram no Serra e perderam a eleição etc. etc.

Mas não vou falar disso hoje, não. Se quiser saber mais sobre o anti-movimento, clica aqui: http://www.tocansadinho.blogspot.com/ (nem sei colocar aqueles links bonitinhos!). Tô me concentrando pro show tudo de bom do César Menotti & Fabiano, hoje à noite, no Espaço das Américas.

Antes, rola uma Orquestra Imperial no Citibank Hall. Mas isso de fato não supera a ansiedade que eu tô pra ver os gordinhos no palco.

popeye_grunge.gif
Existem duas grandes ilusões nessa vida. A primeira é de que saquinhos de amendoim vão abrir da forma certa (não, não vão, sempre rasgam, esparrama tudo no chão e eu fico puto e soco a mesa e tals…) e a segunda é de que você já viu todas as idéias erradas já tidas nesse planeta.

Como prova disso: Popeye Grunge!!!

A origem disso? Sabe quando as megacorp pegam um personagem de sucesso (digamos… Os Muppets) e criam sub-linhas com versões diferentes dos personagens (digamos… Muppet Babies?) para abrir outras vertentes de licenciamento de produtos?

O cartunista Stephen DeStefano postou no blog dele 4 imagens que fizeram parte de uma dessas iniciativas de licenciamento… Uma atualização de Popeye e cia. pra deixar a parada numa vibe mais jovem, com uma pegada mais musical! (observação pessoal: essa última frase é uma homenagem à Carol Helena! Essa é pra você, bêibê!)

Clique aqui para ver o post original de DeStefano (com mais 3 desenhos além do acima) e aqui para ir direto para o blog dele (tem outras coisas bacanas por lá).

E para terminar: vamos comprovar a agilidade das megacorps em entender os movimentos culturais?

Isso tudo ocorreu em 95. O Popeye virou grunge um ano depois de Kurt ter procurado o seu futuro do lado errado da escopeta.

—UPDATE—
E como tudo que é ruim, sempre dá pra piorar…

O Coelho Branco me mandou uma pequena intervenção no desenho do DeStefano. Antecipando a próxima iniciativa de licenciamento na linha do Popeye para 2009, o Popeye Emo!!!

popeye_emo_by_poe.gif
ahahahahah

Valeu Coeio!

1
Agora em julho chegarão às bancas os dois primeiros títulos da Virgin Comics. Essa Virgin é aquela mesma, do grupo que tem selo de música e companhia aérea e sei lá mais o quê, talvez tampas de privada com mp3 ou algo assim…

O negócio da linha “Versão do Diretor” (no original: “Director’ Cut”) da qual fazem parte esses primeiros lançamentos é: convidar diretores de cinema para criarem a história e, daí, jogar tudo na mão de uma equipe de hq para fazer a adaptação para a linguagem “escrita e ilustrada dentro de balões e quadradinhos”.

E os dois primeiros títulos são: “Mulher-Serpente” – criada pelo diretor indiano Shekhar Kapur e adaptada por Zeb Wells e Michael Gaydos (dois nomes já conhecidos aqui pelo Brasil) que, sei lá, parece meio mais uma daquelas hqs com mulheres super-gostosas mezzobuena-mezzodumalle; e, pra mim a mais interessante, “7 Irmãos”, que foi criada pelo John Woo e historiaemquadrinhezada pelo roteirista-polêmica Garth Ennis e desenhada/pintada por Jeevan Kang e mistura fábulas chinesas com sete homens com nada em comum apenas seus destino e tals…

Hum… Garth Ennis hoje em dia tá errando mais que acertando, mas é uma dupla curiosa com o John Woo pois enquanto o chinês curte aquelas estilizações e mistura conceitos de filme de ação com ética de kung-fu/samurais e pombos em câmera lenta, o irlandês é uma mistura de Tarantino (valeu por notar isso, Gonzo!), Peckinpah (na ética dos personagens, no anti-autoritarismo, etc) e South Park . Num comentário paralelo: “Preacher talvez seja a série de Ennis que melhor junta tudo isso, e a Pixel já está retomando a publicação com especiais em banca e álbuns para as livrarias.

Mas voltando à Virgin fria… As séries vão pras bancas ainda em julho, 48 páginas por 5.50 realights, lançamento da Panini. Agora, se você quiser ter uma idéia do que te aguarda, é só clicar nas imagens abaixo. O newsarama (site americano que noticia os comics) disponibilizou a primeira edição das duas séries para leitura gratuita. Estão em inglês, logicamente.

seteirmaosparasetenoivas.jpg mulherserpente.jpg

Importante ressaltar que esses previews contém apenas metade das páginas dos lançamentos brasilenhos, pois cada número nosso junta duas edições completas das gringas.

E lá fora já está saindo Gamekeeper, criada pelo Guy Ritchie, e Voodoo Child, do Nicholas Cage e do filho dele. É… O pai é o Motoqueiro Fantasma e o filho é o Escritor Fantasma dele, aparentemente.

p.s. – “Explore o desconhecido”? Mas que merda de slogan é esse? Pra mim “explorar o desconhecido” é escarafunchar o recheio de um croquete de boteco, pô…
2
Qualquer fã razoável de Speed Racer sabe: quem salva a pátria masculina por ali é o Zequinha, o resto é tudo boiola. Só o chimpanzé de estimação da família Racer nos honra, enquanto os outros ficam com chororô de quem é irmão de quem, quem corre mais ou quem tem banco de couro ou…

Bom, os Wachowski estão dirigindo o filme live-action do Speed Racer. Sinceramente, tenho medo, mas já admitindo que sou um dos hereges que não gostou da trilogia Matrix. A impressão que eu tenho é que esse filme vai ser um acidente, do tipo pegar algo que é ruim e legal e tentar transformar em algo bom e acabar ficando ruim, ainda pior que o original e sem o mesmo charme, saca?

Mas, temos uma boa notícia… A realidade imita o universo desenhado e novamente Zequinha vem para nosso resgate! Notícia do Omelete:

Chimpanzé morde garoto no set de Speed Racer

Ah, sim… O mesmo espírito Bad Boy de nosso Zequinha! Chega a ser emocionante ver um ator incorporando tão bem a personalidade do personagem que está interpretando.

3
Além de símbolo da revista Mad, sósia de presidente americano e mais influente filósofo da segunda metade do século XX (com a frase que melhor resume esses tempos: “O quê? Eu me Preocupar?”), Alfred E. Newman agora também é super-herói!

Newmans GALORE!!!

A série de bonequinhos “Just-Us League of Stupid Heroes” é um lançamento da DC Direct (braço de brinquedos da editora DC Comics).

Eu quero…

webcomics

29 junho, 2007

Fazer humor em tiras é uma encrenca pesada. Pombas, criar uma piada curta, fazer de uma forma “econômica” (de espaço) e ainda assim bacana? E pra sair no jornal, que além de tudo seja, tipo, pop o suficiente?

Treta…

Tá certo que de vez em quando os editores deliram e deixam escapar um maluco (Laerte!!!), mas a maior parte ainda são os Dilberts e Zeros e Bichos ranzinzas e tal.

Bom, dane-se, nada que não se resolva com algumas escarafunchadas pela internet, umas dicas de amigos e uns bookmarks pelaí.

Então, senhoras e senhores quadrinheiros: hora de divulgar três webcomics para vocês, todos em formato de tira.

1- Linha do Trem – http://www.linhadotrem.com
atualização: diária (menos nos findes, feriados e quando o autor tira folga)

http://www.linhadotrem.com

Raphael Salimena é um ser doente, e falo isso no melhor dos sentidos possíveis da palavra. Do escatológico ao sutil, o cara varia em tom a cada tira. Antigamente ele trabalhava com “sub-séries” dentro da série, mas agora ele segue menos esse caminho, colocando principalmente piadas fechadas (com personagens em única aparição) e apenas poucas piadas sequênciais (bom, teve também o período em que ele desenhava todos os personagens como zumbis, mas isso é um caso à parte).

Leitura diária. Já!

2- Alien Loves Predator – http://www.alienlovespredator.com/
atualização: raramente

Fotografar bonecos e editar a imagem? Normal. Piadas com personagens de cinema? Normal também. Agora, o que diferencia Alien Loves Predator (sub-título: In New York, no one can hear you scream) é que Bernie Hou conseguiu juntar isso tudo numa sitcom bizonha, sobre as histórias de dois amigos (um Alien e um Predador) que moram juntos em NY. Qualquer um que consiga incorporar ao personagem do Predador a necessidade de usar óculos e conseguir evoluir o personagem com um elemento desse tipo merece meu respeito.

http://www.alienlovespredator.com/

Desde que nasceu o filho do cara a atualização brecou. Entra uma tira por mês, algo assim. Pena. As tiras isoladas são bacanas, mas quem tiver tempo é melhor ir pro começo e ir seguindo na sequência. Sério, o Alien é PUTA personagem.

3 – The Perry Bible Fellowship – http://www.pbfcomics.com/
atualização: semanal (em média)

http://www.pbfcomics.com/

A Demência. Quando o Roger (erm… o baixista da minha banda, não o cara do “Somos Inúteis”…) me mostrou o trabalho desse cara, o Nicholas Gurevitch, eu não voltei ao meu trabalho enquanto não vi todas as tiras do site e encaminhei várias para todo mundo que estava online no msn naquela hora.

Tá, eu sei, um surto, mas eu sou sou esse tipo de mala, saca?

Puta traço, com um humor completamente louco, surreal no último… Muito, muito foda.

Ele vai lançar um livro pela Dark Horse, que já está em pré-venda na Amazon. É uma compilação das tiras do site, pelo que entendi, e vou comprar. Simples assim: TEM que ter na estante.

Mais pra frente, cavuco outras por aqui. Abraços!